Unimed Maringá orienta público interno sobre conjuntivite

Em função dos surtos de conjuntivite em várias regiões do país e do aumento do número das notificações dos casos da doença na cidade, a Unimed Maringá vai promover uma aula, no dia 24 de abril para médicos do pronto atendimento e colaboradores. De acordo com o infectologista José Ricardo Colleti Dias, responsável pelo Serviço de Controle de Infecção Associada à Assistência em Saúde da cooperativa, o objetivo do encontro é orientar e disseminar informações para o correto manejo dessa patologia.

O mais importante deles, segundo o médico, e que vale para grande número das doenças infectocontagiosas, é a higienização das mãos. “Lavar as mãos é seguramente a medida mais eficaz para impedir a transmissão de uma pessoa a de muitos agentes causadores de doenças infecciosas, explica. É importante também que a pessoa com conjuntivite não se automedique. “Olhos vermelhos nem sempre indicam infecção na conjuntiva, membrana que reveste o globo ocular e o interior das pálpebras. Além disso, a infecção pode ser bacteriana ou viral, o que diferencia o tratamento”, diz ele. Evitar locais com muita gente e recolher-se quando o diagnóstico da doença for confirmado como sendo de causa infecciosa principalmente entre c rianças, também ajudam a interromper a circulação dos agentes contagiosos.

Normalmente, a conjuntivite acontece mais frequentemente no verão, mas pode ocorrer no ano todo. Apenas os hábitos de higiene, principalmente a higienização constante das mãos, são medidas eficazes de prevenção da conjuntivite. De forma indireta pode ser transmitida por meio de superfícies, instrumentos ou soluções contaminadas. Por isso é tão comum sua transmissão em hospitais, creches, escolas e entre indivíduos da mesma família.

A seguir algumas orientações:

  • Procurar assistência médica na ocorrência de sinais e sintomas de conjuntivite, evitando a automedicação;
  • Observar os cuidados de higiene pessoal, principalmente quanto à higienização frequente das mãos e uso e descarte de lenços descartáveis;
  • Não compartilhar toalhas, maquiagem para olhos, soluções oftálmicas e outros medicamentos de uso ocular;
  • Trocar diariamente as fronhas;
  • Evitar frequentar locais aglomerados quando da ocorrência de sinais e sintomas de conjuntivite, inclusive creches, escolas e local de trabalho.

NOTÍCIAS

No Comments

Post a Comment